PRÉ-VENDA! Uma introdução ao cinema underground americano (Sheldon Renan)

O Catarse de UMA INTRODUÇÃO AO CINEMA UNDERGROUND AMERICANO foi um sucesso e a produção do livro segue a todo vapor. Além do maravilhoso prefácio escrito por Sheldon Renan exclusivamente para a edição brasileira, a novidade do momento é que nossa capa também será exclusiva. O artista convidado para isso é ninguém menos que o gaúcho Jaca.


Se por algum motivo não foi possível apoiar o Catarse, a MMarte traz uma nova oportunidade para você: está aberta, até o dia 15 de novembro, a pré-venda de UMA INTRODUÇÃO AO CINEMA UNDERGROUND AMERICANO. Aproveite a chance de ter esta obra seminal, programada para chegar à sua biblioteca ainda em dezembro de 2021.


Eu tinha 24 anos quando comecei este livro. Tenho 80 anos ao terminar esta nova introdução hoje. Tive 55 anos para refletir sobre o que escrevi em 1965 e 1966.
O autor Sheldon Renan: "Eu tinha 24 anos quando comecei este livro. Tenho 80 ao terminar esta nova introdução hoje. Tive 55 anos para refletir sobre o que escrevi em 1965 e 1966."

SOBRE O LIVRO

Há décadas o cinema underground é uma realidade estabelecida na produção audiovisual mundial. Existem pesquisas, escolas, obras canônicas, diretores consagrados e fortuna crítica acerca desta vertente do cinema que prima tanto pela liberdade quanto pela transgressão. Em 1967, quando An Introduction To The American Underground Film foi lançado, a história era bem diferente. Naquele momento, o filme underground esboçava suas primeiras experiências em solo norte-americano, e foi o escritor Sheldon Renan o responsável pelo primeiro livro sobre o tema.


Sheldon foi testemunha ocular do fenômeno e teve a sensibilidade de compreendê-lo como um acontecimento novo e revolucionário no campo das artes. Em seu tratado, discute o que de fato é o filme underground, além de construir uma história do cinema de vanguarda na América. Nomes hoje consagrados como Kenneth Anger, Ken Jacobs, Marie Menken e Andy Warhol fazem parte da galeria de cineastas elencada na obra, que ainda discute o establishment do underground, além de lançar as bases do que viria a ser o cinema expandido.


Star Spangled to Death, de Ken Jacobs

Com uma única edição no Brasil – lançada em 1970 e fora de catálogo desde então –, Uma introdução ao CINEMA underground americano finalmente retorna ao nosso mercado editorial, em mais uma parceria entre a MMarte (www.mmarteproducoes.com) e a Leite Filmes (do lendário cineasta e produtor cultural mineiro Sávio Leite). Mais do que uma obra paradigmática sobre o cinema underground, o livro é o resgate histórico do registro de um movimento que se mostrou amplamente influente, feito no calor do momento.


The Very Eye of Night, de Maya Deren

A nova edição de UNDERGROUND: Uma introdução ao filme underground americano traz as seguintes características:

- Prefácio exclusivo de Sheldon Renan para a nova edição brasileira;

- Nova tradução do pesquisador e crítico Carlos Primati;

- Capa exclusiva feita pelo artista visual Jaca;

- Edição ilustrada;

- Formato 14 x 21 cm;

- Papel Pólen;

- Cerca de 200 páginas;

- Capa normal (brochura).


Scorpio Rising, de Kennet Anger

Carlos Primati (tradução):

Crítico e pesquisador de cinema fantástico, tradutor e editor, Carlos Primati ministra cursos e palestras sobre horror, ficção científica e fantasia por todo o Brasil. Maior especialista do país, colaborou em diversas retrospectivas da obra de José Mojica Marins, o Zé do Caixão. Criou as mostras Horror no Cinema Brasileiro (CCBB e Cinemateca) e Macabros: O Novo Cinema de Horror Brasileiro (SESC), sendo também curador da mostra macaBRo: Horror Brasileiro Contemporâneo (CCBB). É curador da CRASH – Mostra Internacional de Cinema Fantástico, do Rio Fantastik Festival e participa de eventos como Fantaspoa, Cinefantasy, Horrorcon e HorrorExpo. Para o MIS (Museu da Imagem e do Som), ministra cursos variados e escreveu os textos da exposição Hitchcock: Bastidores do Suspense, em 2018, colaborando também no catálogo do evento. É organizador, em parceria de Beatriz Saldanha, da antologia Única: Estudos Hitchcockianos. Escreve regularmente para catálogos de mostras abordando personalidades como Stephen King, George A. Romero, Kirk Douglas, Ruth de Souza, Carlo Mossy e Rodrigo Aragão.